sexta-feira, 4 de novembro de 2011

A Má Alimentação

*Grasiele Vieira Tombini

 A má alimentação ocorre principalmente nos países subdesenvolvidos, por falta de alimentos; de maus hábitos alimentares, na maioria das vezes por haver alimentos pouco nutritivos, como os fast-foods; e de falta de exercícios físicos. A má alimentação pode causar diversas doenças. As principais consequências da má alimentação são: obesidade, colesterol elevado, gastrite e hipertensão.

 A falta de tempo não pode ser desculpa para não se ter uma alimentação saudável, afinal os alimentos são aliados essenciais na produção da energia necessária para cumprir suas atividades e para garantir qualidade de vida. Pular refeições, comer alimentos ricos em gorduras, consumir alimentos industrializados em excesso e outras atitudes deste tipo diminuem a disponibilidade de nutrientes, que são necessários ao bom funcionamento do organismo, o que resulta no processo de doença.

A recomendação para quem tem uma vida agitada é ao menos fazer três refeições por dia – café da manhã, almoço e jantar. Com uma boa refeição, a pessoa consegue ser mais produtiva e ter rendimento melhor até o horário do almoço. O ideal é incluir uma fonte de cada nutriente. Excluir alimentos que causam desconforto e irritam ainda mais a mucosa também é imprescindível, por exemplo: frituras em geral, doces, bebidas à base de cafeínas, bebidas gaseificadas, bebidas alcoólicas, alimentos ácidos, condimentados e outros.

Quando não for possível realizar uma refeição saudável,  uma boa opção neste caso  são os lanches naturais que também podem ser balanceados com um carboidrato (pão integral), uma fonte proteica (frango, peito de peru), saladas e legumes (alface, rúcula, cenoura ralada, beterraba ralada, tomate, etc).
Deixar a alimentação em segundo plano torna-se  uma prática muito perigosa à saúde, algumas das doenças causadas pela má alimentação são as seguintes:
A obesidade: é uma doença caracterizada pelo acúmulo excessivo de gordura corporal, associado a problemas de saúde. Podemos citar como causas da obesidade, fatores genéticos, ambientais e psicológicos. Entre os fatores ambientais está o consumo excessivo de calorias e a diminuição no gasto energético, que devem ser modificados para o controle da doença.
Colesterol elevado: O aumento de colesterol na corrente sanguínea pode ocasionar entupimento de veias e artérias causando o infarto e derrame.
Gastrite: é uma inflamação na mucosa do estômago, que podemos classificar de aguda ou crônica, a realização de poucas refeições ao dia com grande volume de alimentos e com grandes intervalos entre cada refeição também podem levar a uma gastrite.

A hipertensão ocorre quando os níveis de pressão arterial encontram-se acima dos valores de referência para a população em geral. Podemos citar como causas da hipertensão a obesidade, consumo excessivo de álcool, sal em excesso, tabagismo, sedentarismo e fator hereditário. Esta doença é um dos principais fatores de risco para as doenças cardiovasculares.

*Grasiele Vieira tombini é academica do VII nível de Jornalismo da UPF

Nenhum comentário: